Tempo de Leitura: 1 min

Pelo menos R$ 5 bilhões deverão ser investidos no projeto da nova ferrovia que ligará o Vale do Aço ao porto de São Mateus, no Norte do Espirito Santo. Futuramente, outros ramais poderão ser agregados à Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo (EFMES), elevando os investidos à casa dos R$ 23 bilhões.

A construção do ramal, de 460 quilômetros, foi autorizada pelo governo federal no início do mês, dentro de um amplo programa de ampliação da malha ferroviária do país com abertura de oportunidades para empresas privadas nacionais em associação com capital estrangeiro.

Os detalhes foram explicados pelo presidente da Petrocity Portos AS, José Roberto da Silva, que conversou com o prefeito de Ipatinga, Gustavo Nunes. Segundo ele, a expectativa é de que todo o processo burocrático em torno do projeto seja concluído até o final do próximo ano, com início efetivo das obras a partir do segundo semestre de 2023 ou início de 2024 e conclusão até 2026.

Ele frisou ainda a escolha do Vale do Aço, e no caso de Ipatinga, como uma das pontas do da ferrovia por sua estratégica posição geográfica, a importância econômica e especialmente o grande potencial fabril, com dezenas de indústrias operando sobretudo no setor metalmecânico a reboque da Usiminas.

Além do projeto entre Ipatinga e São Mateus, o projeto faz parte de um total de 3,3 mil quilômetros. com investimentos de R$ 53,5 bilhões, abrangendo nove estados. Somente em parte das regiões Sudeste e Centro-Oeste, são 663 quilômetros, com investimentos que somam R$ 7,8 bilhões em três Estados (Goiás, Minas Gerais e Espírito Santo).

 

 

 

 

Artigo anteriorPrefeitura convoca população para segunda e terceira dose de vacina
Próximo artigo50 anos do Centro de Pesquisa Usiminas