CAMINHOS GERAIS-CROSS-SELLING2
Tempo de Leitura: 2 min

Empreendedoras do Vale do Aço investem na criação de produtos artesanais especiais para atrair os consumidores

A pandemia tem sido um desafio para pequenos empreendedores comercializarem seus produtos. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo SPC Brasil, em parceria com a Offer Wise Pesquisas, mostra que, neste ano, reduziu em cerca de 10,5 milhões o número de brasileiros que pretendem realizar compras para a Páscoa 2021.

Diante deste cenário, empreendedoras do Vale do Aço, apoiadas pelo programa de empreendedorismo feminino do Sebrae Minas – Sebrae Delas, apostam em estratégias para tentar driblar a crise e aumentar as vendas. Segundo a analista do Sebrae Minas Vanessa Silva, é essencial que o empreendedor busque formas de se reinventar.

“Mesmo com um cenário econômico instável, os empreendedores precisam usar a criatividade para manter o negócio aquecido, por meio de ações estratégicas, seja inovando na criação de novos produtos ou até mesmo atuando em nichos diferentes”, ressalta.

Novo cardápio e delivery 

“A expectativa é fazer os nossos doces chegarem aos clientes com qualidade e comodidade. Para isso, ampliamos o nosso cardápio e intensificamos o delivery”,

Lidiane Marinho é confeiteira há 12 anos em Ipatinga. A empreendedora precisava de uma fonte de renda e decidiu unir o amor pelos doces ao desejo de criar um novo negócio.

Entre capacitações e parcerias, o empreendimento de Lidiane tem apresentado crescimentos significativos. Há três anos, ela passou a trabalhar em sociedade e, no ano passado, ganhou um espaço próprio. Hoje, a fábrica produz bolos, tortas, chocolates trufados, doces e guloseimas, além de produtos especiais para o período da Páscoa, como ovos trufados, ovos de colher, barras de chocolate trufadas e kits de chocolate.

Para acompanhar o crescimento da empresa e atender às demandas da data, Lidiane contratou um auxiliar de produção, um atendente e um entregador. Neste ano, a empreendedora espera um aumento de 125% nas vendas dos ovos de Páscoa, em relação ao mesmo período de 2020.

“A expectativa é fazer os nossos doces chegarem aos clientes com qualidade e comodidade. Para isso, ampliamos o nosso cardápio e intensificamos o delivery”, destaca Lidiane.    

Oportunidade na Páscoa 

Amanda Nobre e Aurea Maria Nobre também descobriram uma nova oportunidade na Páscoa. Moradoras da cidade de Coronel Fabriciano, mãe e filha empreendem há seis anos na produção de artigos em crochê e tecido. A ideia de empreender surgiu quando Amanda, que buscava uma renda extra, viu no dom da mãe, a oportunidade de criarem um novo negócio.

“Minha mãe aprendeu a fazer crochê aos oito anos de idade, com a sua avó paterna. Nossa casa, então, sempre teve esse tipo de decoração e, com isso, fui tomando gosto e caminhando junto com ela nesse ramo”, conta Amanda.

A chegada da pandemia e a necessidade de ficar em casa proporcionou mais tempo para Aurea se dedicar às artes. Foi aí que ela e a filha tiveram a ideia de aproveitar a Páscoa para criar um novo produto, com o intuito de expandir o ateliê.

“No início do ano, olhei o calendário e decidi criar um cronograma de novos produtos a partir de datas comemorativas. Em março, por exemplo, criamos uma peça exclusiva para a Páscoa: “naninhas” (objeto feito de tecido em forma de animais ou personagens) de coelho que servem tanto como um complemento para uma cesta de chocolates quanto para decorar uma almofada, um travesseiro ou um brinquedo”, revela Amanda.

Leia mais: Qualidade dos ovos de Páscoa é controlada pelo Ipem