CENIBRA – BIODIVERSIDADE – CUSTOM AD#3
Tempo de Leitura: 1 min

Operação Vácuo cumpre mandados em Belo Horizonte, Confins e São José da Lapa.

A Polícia Federal (PF) faz, na manhã desta sexta-feira (20), operação para cumprir mandados de busca e apreensão em empresas ligadas ao comércio de equipamentos médicos em Belo Horizonte e em duas cidades da Região Metropolitana. As investigações apuram irregularidades na compra e aluguel de respiradores em Coronel Fabriciano.

Segundo a PF, há suspeita de que uma empresa “laranja” tenha sido usada para a celebrar contrato com a prefeitura, com superfaturamento de valores. Uma nota técnica produzida pela Controladoria-Geral da União (CGU) estima que o prejuízo causado é de, no mínimo, R$ 414 mil.

O que dia a Prefeitura de Coronel Fabriciano em Nota

A prefeitura de Coronel Fabriciano por meio da Procuradoria Geral do município informa que o processo de contratação da empresa para aquisição e locação dos equipamentos destinados ao Hospital Dr. José Maria Morais, atendeu as mais absolutas e rigorosas condições de legalidade.

Ressalta-se que, no início da pandemia, existia alta demanda, pouca oferta e escassez de equipamentos e insumos, além da urgência, alinhada a necessidade e prioridade de proteção à vida e saúde.

Os preços de mercado foram adequados pelas empresas a realidade do momento de acordo com a lei da oferta e da procura.

O município preza pela legalidade e reitera que todos os documentos sobre o referido processo estão disponíveis em seu portal da transparência. A administração reforça que contribuirá de maneira irrestrita com toda e qualquer investigação.

Artigo anteriorUsiminas lança informativo para a comunidade também na versão impressa
Próximo artigoLuiz Carlos renuncia ao cargo de conselheiro da Usiminas