Tempo de Leitura: 1 min

André Merlo recebeu 57,74% dos votos válidos no segundo turno inédito da cidade.

Após um domingo (29) de movimentação tranquila nas seções eleitorais, Governador Valadares (MG) elegeu, pela primeira vez na história, um prefeito no segundo turno de uma eleição. E quem vai comandar a cidade pelos próximos quatro anos é André Merlo (PSDB), que venceu o pleito com 71.764 votos, o que representa 57,74% dos votos válidos.

André Merlo é o único valadarense na história da cidade que conseguiu assumir a prefeitura. Neste ano, ele não participou da votação em primeiro turno, no último dia 15, já que estava internado em um hospital de São Paulo, se tratando da COVID-19. O atual prefeito ficou hospitalizado por cerca de 20 dias, a maior parte deles em São Paulo. Esta foi a terceira vez que ele concorre à prefeitura, a segunda pelo PSDB. Com a vitória, André entra para a história como o primeiro vencedor de uma eleição municipal em segundo turno na cidade, e ainda como o primeiro homem a ser reeleito prefeito em Governador Valadares. Em toda a história, a única pessoa que ocupou a chefia do Executivo Municipal e conseguiu se reeleger na cidade, foi Elisa Costa (PT). No primeiro turno, André Merlo foi o candidato mais bem votado, com 38,27% dos votos válidos, um total exato de 49.183 votos.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), neste segundo turno inédito, dos 213.886 eleitores de Valadares, 137.715 foram às urnas.

Resumo do dia de votação

O dia de votação em Governador Valadares foi tranquilo, sem grandes filas e aglomerações nos locais de votação. Segundo a Polícia Federal, uma mesária foi levada para a delegacia e assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) após dizer para um eleitor o nome e o número do candidato em que ele poderia votar, dentro da seção eleitoral. O caso ocorreu na Escola Estadual Pedro Faria, no bairro Elvamar. Já na Escola Municipal Serra Lima, no bairro Palmeiras, segundo o Cartório Eleitoral, um eleitor escreveu o número de um dos candidatos na tela da urna eletrônica. Os mesários apagaram a inscrição com álcool assim que foram avisados, mas o autor do crime de boca de urna não foi identificado. Na Ilha dos Araújos, uma urna precisou ser trocada após apresentar defeito no visor, que não mostrava as informações. O aparelho foi trocado sem que houvesse atraso na votação.

Fonte: Sávio Scarabelli/rádio Mundo Melhor

Artigo anteriorZema anuncia datas do 13º e pagamento de dezembro
Próximo artigoEduardo Paes é eleito no Rio e diz que saúde será prioridade de seu governo