Anvisa libera função do Apple Watch que salvou vida de brasileiro

CENIBRA – CUSTOM AD3 – HOME
Tempo de Leitura: 3 min

Anvisa aprovou aplicativos do Apple Watch para realizar ECG e para detectar ritmo cardíaco irregular (fibrilação atrial) no Brasil

Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou dois aplicativos do Apple Watch para realizar eletrocardiograma (ECG) e para detectar ritmo cardíaco irregular, sinal de um tipo de arritmia chamado fibrilação atrial. A Apple precisa de autorização em cada país para liberar esses recursos.

A autorização da Anvisa foi publicada no Diário Oficial da União em nome da Emergo Brazil Import, empresa de importação e distribuição de produtos médicos, que está representando a Apple. Segundo o MacMagazine, a solicitação foi feita em 4 de maio de 2020.

O recurso de eletrocardiograma está disponível no Apple Watch Series 4 e Series 5, mas o software ainda não foi liberado no Brasil; isso deve ser questão de tempo e talvez exija uma atualização do sistema watchOS.

Publicitário recebeu e-mail do CEO da Apple, Tim Cook

O publicitário Jorge Freire contou em um post no Facebook que o alerta do Apple Watch 5 foi crucial para que ele procurasse uma emergência e evitasse complicações de saúde. A publicação viralizou na internet: já teve mais de 2,1 mil reações, 1,1 mil comentários e quase 950 compartilhamentos.

A mensagem do relógio inteligente dizia que o coração de Jorge estava com 140 batimentos por minuto (BPM) por mais de 10 minutos. Após o susto, o proprietário do blog Nerd Pai agradeceu aos médicos por terem conseguido administrar o quadro dele a tempo e à Apple pelo alerta. O ocorrido repercutiu até na presidência da Apple e o CEO, Tim Cook, enviou um e-mail ao brasileiro.

No depoimento, Jorge Freire explica que recebeu o alerta quando voltava de São Paulo e ficou surpreso quando observou que o relógio marcava 170 BPM. O publicitário ainda revela que estava apenas andando e que não acreditava que esse fosse o motivo das batidas aceleradas. Ao chegar em casa, aferiu os batimentos por 30 minutos e o Apple Watch ficou estável em 160 BPM. Foi então que ele percebeu que a situação poderia ser grave.

O publicitário também narra que foi a um pronto-socorro, onde mostrou o relógio inteligente. Logo em seguida, foi encaminhado para o atendimento devido à pressão alta, e foi confirmado o quadro de taquicardia. “O médico controlou os batimentos cardíacos através de remédio e desde esse dia estou bem. Agora farei uma bateria de exames para checar o que pode ter ocorrido. Para os médicos, juntou excessos do fim de ano, stress, ansiedade e a minha burrice de não tomar corretamente meu remédio de pressão”, escreveu na postagem.

“Posso dizer que o Apple Watch 5 me salvou. Não estava sentindo nada e poderia ter ficado com essa taquicardia por horas. E o resultado disso, bem, você já sabe…”, concluiu o publicitário.

O caso chamou atenção do diretor-executivo da gigante da tecnologia, que mandou uma mensagem para Jorge. Tim Cook escreveu um e-mail mostrando-se feliz pela recuperação e agradeceu o depoimento. “Jorge, feliz Ano Novo! Estou contente por você estar bem agora. Obrigado por compartilhar sua história conosco – isso nos inspira a continuar avançando. Atenciosamente, Tim”, respondeu o CEO.

E-mail enviado do CEO da Apple desejando melhoras a Jorge Freire — Foto: Reprodução
E-mail enviado do CEO da Apple desejando melhoras a Jorge Freire — Foto: Reprodução

Como usar o app de ECG no Apple Watch

Para fazer o ECG, o usuário deverá abrir o app correspondente no relógio, colocar o dedo indicador na coroa digita (botão giratório) e esperar 30 segundos. O dispositivo vai medir os impulsos elétricos do seu coração e alertar sobre alguma possível irregularidade.

Há também o Recurso de Notificação de Ritmo Irregular (RNRI), que analisa dados da frequência cardíaca para identificar sinais de fibrilação atrial, principal causa de acidente vascular cerebral (AVC).

Apple Watch ECG

Em comunicado, a Anvisa coloca algumas ressalvas sobre o uso do ECG: os dados servem apenas para uso informativo, não para uso clínico, e não substituem os métodos tradicionais de diagnóstico.

Além disso, vale notar que o Apple Watch consegue detectar apenas o ritmo normal de batimento do coração e a fibrilação atrial; ele não é capaz de identificar outros tipos de arritmia, nem alerta sobre ataques cardíacos.

O Apple Watch consegue fazer ECG atualmente em 35 países, incluindo Estados Unidos, Canadá, Índia e membros da União Europeia. O recurso passou a funcionar nos EUA no final de 2018 após liberação da FDA, equivalente americana à Anvisa.

 

Fonte: TecnoBlog e TechTudo
Artigo anteriorMárcio Cunha suspende atendimentos eletivos
Próximo artigoPolícia Civil distribui cestas básicas em Ipatinga