CENIBRA – BIODIVERSIDADE – CUSTOM AD#3
Tempo de Leitura: 1 min

Depois de ter sido preso, acusado pelos investigadores do Gaeco na Operação Dolos e ter pedido renúncia do cargo de vereador,  Wanderson Gandra tenta agora conseguir a anulação de seu pedido de saída, feito em abril e com isso, voltar ao cargo, hoje ocupado pelo suplente Fábio Pereira dos Santos, o Fabinho do Povo. O pedido neste sentido foi protocolado hoje e agora aguarda um parecer técnico sobre o assunto.

Em seu arrazoado, Gandra, que renunciou no dia 12 de abril,  disse que entregou um ofício ao presidente da Casa, vereador Jadson Heleno e não à mesa diretora, como determina o regimento interno da Câmara. Ele frisou ainda que sua renúncia só seria algo efetivo e sem chances de ser revertida se a carta fosse lida em plenário, publicada na imprensa local e comunicada, por ofício, ao juiz eleitoral, bem como ao partido ao qual o parlamentar estava filiado naquele momento, o PSC e que, nada disso foi feito.

Gandra ainda alegou que pediu sua renúncia por ter sido pressionado pela opinião pública, que o execrou diante dos fatos apresentados contra ele e que também tinha a esperança de deixar a prisão mais cedo, como aconteceu com o colega José Geraldo Andrade. Entretanto, diante de tais fatos, acabou por se enveredar em tratamento psiquiátrico, no qual teve de tomar remédios controlados e muito fortes, que o teriam impedido de agir de maneira lúcida e racional, o levando ao pedido de renúncia.

Leia também: Vereador Masinho é libertado, retorna ao cargo, mas é afastado pela Justiça

Artigo anteriorFGTS obriga Caixa a abrir as portas neste sábado
Próximo artigoBolsonaro ficará mais 4 dias afastado